2 de fev de 2016

Cientistas ​exploram​ macacos geneticamente modificados ​para ter ​autismo

Um grupo de cientistas ​chineses ​criou macacos geneticamente modificados com comportamentos similares causados pelo autismo em animais humanos. A inform​a​ção é do New York Times

Segundo o jornal, o objetivo é testar potenciais terapias nos animais com ​a ​esperança de que sua similaridade com humanos possa levar a mais respostas sobre a desordem.

Os cientistas do Instituto de Neurociência da Academia Chinesa de Ciências em Shanghai dizem que os macacos apresentam comportamentos repetitivos, maior ansiedade e defeitos em interações sociais, como os autistas humanos. 

Eles agora estão fazendo ima​g​ens dos cérebros dos macacos parta identificar a deficiência nos circuitos cerebrais que causam o comportamento autista.

A pesquisa foi publicada recentemente no jornal Nature e parece ser a mais abrangente entre outras pesquisas usando macacos editados para terem genes ligados ao autismo.

O uso de macacos representa uma nova fase de exploração animal dentro desse campo de pesquisa, que antes focava em ratos mas agora prefere ​explorar animais "mais avançados".

É difícil ler sobre isso sem compartilhar o horror desses animais trazidos ao mundo apenas para sofrer e fazer dinheiro para cientistas sem ética. Animais que talvez não existiriam ou que existiriam com cérebros sem alterações de autismo são forçados a serem escravos da neurociência em nome do lucro. Esses cientistas deveriam pesquisar seu próprio cérebro para descobrir a causa de tamanha deformidade moral.
Postar um comentário