23 de set de 2014

Exposição tem crueldade animal na curadoria

Mais uma curadoria equivocada e mal informada permite crueldade contra animais no programa. Neste caso trata-se da exposição feito por brasileiros, que apesar do título inclui artistas estrangeiros.

É exatamente um artista estrangeiro, aliás um velho conhecido dos animalistas, que está causando problema mais uma vez. Trata-se do francês-argelino Adel Abdemessed, que teve sua exposição fechada no Instituto de Arte de São Francisco, nos Estados Unidos, em 2008, exatamente pelo mesmo motivo.

Depois disso, ele já foi banido de várias exposições exatamente por esse motivo. Registrar sofrimento animal causado por ele mesmo se tornou a especialidade desse sádico infiltrado no mundo das artes, que em busca de choque e sensacionalismo às vezes faz concessões irresponsáveis e sem cabimento.

Em São Paulo, a exposição que está em cartaz no Hospital Matarazzo, ele mostra um vídeo chamado Usine, um minuto e meio de imagens mostrando cobras, escorpiões, caranguejeiras, galos de rinha e cachorros da raça pitbull no mesmo espaço confinado, uma situação completamente artificial.

Segundo a Proteção Animal Mundial, “o resultado é um violento vídeo de um minuto e meio que acompanha os ataques e os grunhidos de sofrimento dos animais confinados juntos.”

Escreva para o contato da exposição para pedir que o vídeo, que em teoria fica em cartaz até dia 12 de outubro, seja retirado. Isso não é censura. Ninguém tem direito a causar sofrimento a outro ser em nome de uma obra de arte. A arte não opera em um vácuo moral.

Postar um comentário