28 de out de 2011

Unicamp vai na contramão da ética com expansão de biotério

Em alguns países isso já é proibido. Mas aqui no Brasil lei e ética são temas supérfluos, mesmo nos campi de universidades que deveriam estar na vanguarda do pensamento. 

Segundo um relato da Mídia Independente a UNICAMP está usando uma verba de R$636 mil para ampliar o canil do biotério do CEMIB (Centro Multidisplinar para Investigação Biológica), obra financiada pelo FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos) que é uma empresa pública vinculada ao MCT (Ministério da Ciência e Tecnologia). Ou seja, isso é dinheiro público usado para a tortura de animais

A obra que teve início em 18.05.2010, e tinha um prazo de 180 dias para acabar, está atrasada, conforme as fotos tiradas no local em outubro de 2011. Escreva para a universidade registrando seu protesto contra a construção de mais uma Treblinka para cães. Não existe educação através do sofrimento alheio.

Eu escrevi o seguinte:

"É com muita tristeza que eu fiquei sabendo da expansão do biotério dessa instituição. É realmente inacreditável que essa falácia consiga dinheiro público, que é meu também, para financiar o sofrimento de animais. Eu sei que vocês provavelmente não darão ouvidos para essa mensagem por causa da arrogância do meio científico (que lembra a igreja na idade média), mas fiquem sabendo que uma boa parte da sociedade sente absoluto desprezo por aqueles que torturam animais para avançar suas carreiras financiadas com dinheiro público. Vocês precisam tomar uma injeção ética, e com urgência. Atenciosamente, NOME/LOCAL"




Postar um comentário