1 de nov. de 2019

Dia Mundial do Veganismo


Desde 1994 o mundo celebra o Dia Mundial do Veganismo. Essa data foi criada para marcar os 50 anos (agora 75) da criação do termo 'vegan' por Donald Watson, sua esposa e amigos na Inglaterra, quando eles fundaram a Vegan Society (leia aqui o manifesto vegano original).

É importante nesta data lembrar que o veganismo não é apenas uma dieta. É uma forma de ver o mundo e de se relacionar com ele, com uma ética que inclui todos os seres sencientes. O vegano sempre analisa uma situação que envolve os animais do ponto de vista do animal, como um ativista de direitos humanos também toma o lado dos vulneráveis e mais fracos.

É bom realçar que não existe contradição entre direitos humanos e não-humanos: um complementa o outro. A mera sugestão do contrário é, com certeza, um sinal camuflado de especismo, isto é, preconceito contra os não-humanos.

Se você ainda não é vegano, considere tornar-se vegano HOJE. Nunca é tarde e é muito mais simples do que você pode imaginar.

FELIZ DIA MUNDIAL DO VEGANISMO.



24 de out. de 2019

Paul McCartney | Looking for Changes

A canção anti-vivisseção é de 1993, mas ganhou um novo clip animado. Feito para o Peta. Lindo.

19 de out. de 2019

Supermercado inglês lança comercial vegano protagonizado por criança

Tesco,  a maior rede de supermercados da Inglaterra, lançou um comercial de TV onde uma menina diz para o pai que não quer mais comer animais. O pai não questiona e simplesmente usa as salsichas de uma linha vegana do supermercado para fazer uma receita favorita da família.

O que é interessante no comercial é que o veganismo da criança é apresentado como uma espécie de voz da nova geração. As crianças têm uma nova consciência e estão influenciando a geração de seus pais, há uma nova sensibilidade crescendo com elas. É notável também que o pedido da criança não é problematizado, é tratado com absoluta naturalidade, como deve ser.

A indústria da carne reagiu como se o apocalipse tivesse começado. Mas isso somente fez o tema ser debatido ainda mais na mídia. Team Vegan ganhando.

15 de out. de 2019

Manchas de óleo no nordeste, mais um ataque contra o planeta

Dezenas de tartarugas mortas, aves, golfinhos, entre outros animais, e a fonte de alimentação de peixes-boi possivelmente contaminada. Praias sujas de óleo, que é um material tóxico que oferece risco para a população. Esse é o saldo do vazamento de óleo que atormenta toda a costa nordestina, e cuja consequência poderia ter sido bem menor se o governo, através de uma ação coordenada entre seus vários agentes responsáveis, tivesse agido. Mas não.

Manual sobre como agir nestes casos não faltam. Os primeiros relatórios do vazamento datam do começo de setembro, mas o governo somente começou a agir, e ainda assim de forma amadora e sem empenho, no dia 7 de outubro. Neste meio tempo, tentaram se esquivar de sua responsabilidade ("O óleo é estrangeiro", disse o miliano atualmente travestido de presidente) e ainda soltaram uma fake news tentando associar o óleo derramado com a Venezuela - agora sabe-se que é da Shell. Teria o governo não agido para proteger sua aliada? Teria o governo interesse em atrapalhar a economia do nordeste?

O fato é que parte do eleitorado brasileiro embarcou em uma aventura com uma turma muito barra pesada, despreparada e, principalmente, desinteressada pelo país. Seu projeto é dinheiro e alucinações de extrema direita. O Brasil está na mão de incompetentes que parecem sentir prazer de ver a sua própria destruição.

Como consequência desse suicídio nas urnas, muitas vidas, humanas e não-humanas, estão sendo perdidas. Imperdoável.


24 de set. de 2019

Casacos de pele proibidos em distrito de Londres

Islington é o primeiro distrito de Londres a proibir a venda de casacos de peles em seus mercados. A administração do distrito decidiu que era hora de agir contra essa indústria cruel e terrível.

Vai ser ilegal para comerciantes nos mercados de Chapel, Exmouth, Camden Passage e Whitecross Street vender casacos de pele a partir de 01 de janeiro de 2020.

Islington, que fica no norte de Londres, é o segundo distrito na Inglaterra a introduzir uma lei como essa, sendo Oldham, em Manchester, o primeiro.

22 de set. de 2019

Prisioneiros são recuperados com cuidado de cães e gatos, em Taubaté (SP)

Essa é uma ideia que vale ser replicada em todo o Brasil. Como parte de um projeto inovador, detentos do regime semiaberto em Taubaté (SP) com bom comportamento cuidam de cães do Centro de Controle de Zoonose. A ideia é que os animais sejam preparados para feiras de adoção. É a primeira ação nesse sentido em São Paulo.

Os prisioneiros são selecionados depois de uma triagem que avalia seu perfil e bom comportamento. Atualmente, 12 detentos do regime semiaberto estão engajados em uma rotina que envolve cuidados com a comida, banho e tosa, e também manutenção e limpeza dos canis e gatis.

Além da interação com os animais e da qualificação profissional, os presos também podem atuar por remissão: a cada três dias trabalhados, um dia a menos em sua pena para voltar à liberdade ressocializado.

O projeto atua em dois presídios com 33 cachorros sendo cuidados no P1 (Penitenciária Tarcízio Leonce Pinheiro Cintra) de Tremembé e outros 24 gatos no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Taubaté, onde vivem em melhores condições e aguardam um lar permanente.

É realmente um caso de resgate mútuo. "Percebemos que tanto os animais quanto os presos ficam mais calmos, interagem melhor com as pessoas, aumentam a autoestima, riem mais, se comunicam melhor, ficam mais expansivos e receptivos”, diz Cláudio José do Nascimento Brás, diretor técnico do CDP.

“Através dos animais, você trabalha senso de responsabilidade e afetividade. Devolvemos o preso à sociedade ele estando melhor do que entrou. O projeto vem totalmente de encontro à essa nossa missão”, diz André Bolognin, diretor técnico na P1 de Tremembé.

Enquanto outros cães e gatos devem aos poucos serem levados para cuidados nos presídios, os que já estão por lá serão levados todos os finais de semana para feiras de adoção por toda a cidade, em parceria firmada com protetores.

A iniciativa do projeto partiu da juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, da 1ª Vara das Execuções Criminais de Taubaté, que costurou o acordo entre prefeitura e governo do Estado. Ela conta com apoio do CCVEC (Conselho da Comunidade da Vara da Execução Criminal), que atua com voluntários para projetos com ressocialização de presos.

“Esse amor incondicional dos animais é exatamente o que os presos precisam, para que tenham uma chance de reintegrar e voltar para o convívio social. O que é tão fácil com os animais, já é algo inato a eles, no ser humano não, é preciso ser cultivado. Para gente isso é difícil, sobretudo em indivíduos que estão segregados”, conta a juíza.

O projeto busca também novos parceiros, para seguir cuidando de animais e ajudando no processo de voltar à liberdade buscando uma vida melhor, e deve servir de modelo para outras unidades prisionais — as próximas devem ser em Potim, também na RMVale. “Projetos são bons quando auxiliam todos os lados. É muito gratificante ver esse trabalho funcionando, com o apoio do Conselho, agora com parceria também com protetores animais. Agora vamos ter força para expandir essa ideia, ser implementado para outras unidades não só na nossa região, contribuindo com todos os envolvidos”.

Fonte: O Vale