18 de jul de 2018

Gravataí tem modelo de CCZ 🐕🐱🐴

17 de jul de 2018

Mercy For Animals abre escritório em São Paulo

Apesar de estar operando no Brasil há um tempo, a Mercy For Animals agora abriu um escritório com uma equipe em São Paulo. Desejo a ONG todo êxito em espalhar o veganismo no Brasil e denunciar o que acontece nos bastidores da exploração animal.

10 de jul de 2018

Pamplona e a celebração do grotesco

Não existe palavra mais adequada para descrever o que acontece em muitas cidades espanholas que celebram bullying, violência e chauvinismo em nome de uma tradição. Tradição é como religião: lança-se mão desse conceito quando se quer defender o indefensível.

No momento vemos por imagens circuladas na internet os horrores da corrida de touros em Pamplona, onde muitos animais já morreram e várias pessoas já ficaram feridas, no caso por vontade própria.

Alguns dias atrás, mais de 100 ativistas ocuparam a Plaza Consistorial de Pamplona para executar um protesto com muita teatralidade e impacto, para mostrar ao mundo o horror que estava por se inaugurar nas ruas da cidade.



5 de jul de 2018

Ativistas na ALESP pelo PL31 contra carga viva em SP

O deputado João Paulo Rillo é um dos deputados éticos que abraçou a causa do PL31 para proíbir essa atrocidade contra os animais. Ontem mais uma vez o PL não votado, devido às manobras chulas da escória do agronegócio. Os ativistas fizeram vigília durante a noite e hoje a luta continua.

21 de jun de 2018

Morre Koko, a gorila que sabia linguagem de sinais

Koko, a icônica gorila que se tornou o símbolo da conexão entre primatas humanos e outros primatas, morreu aos 46 anos dormindo no santuário onde vivia na Califórnia. Koko tinha um QI de 75 a 95 (segundo critérios humanos - o meu QI de gorila com certeza seria bem baixo!) e compreendia inglês falado.

Nascida em um zoológico* em São Francisco, a meiga Koko, que pesava 150 quilos, aprendeu linguagem de sinais ainda como uma bebê em 1974 da pesquisadora Dr. Francine “Penny” Patterson como parte de um projeto da Universidade de Stanford.

Sua habilidade extraordinária a colocou na capa da National Geographic duas vezes, a primeira em 1978 com uma foto dela no espelho que ela mesmo tirou e depois em 1985 com uma imagem sua de luto pela morte de um de seus gatinhos.

Durante sua vida, Koko adotou vários felinos, usando linguagem de sinais para dar nomes a eles, entre eles.  Seu amor por gatos inspirou um livro chamado Koko's Kittens.

Em 2012, ela surpreendeu cientistas ao tocar instrumentos de sopro como a gaita e flauta, além de apitos, uma habilidade que mostrou que os primatas não-humanos podem aprender a controlar sua respiração, o que era presumido como além deles.

Ela conheceu várias celebridades, entre elas Robin Williams (foto) e Leonardo DiCaprio e seu legado é descrito como "profundo. Ela nos ensinou muito sobre a capacidade emocional de gorilas e suas habilidades cognitivas," disse a Gorilla Foundation, onde ela morava.

*A celebração da vida de Koko não é um endosso de zoológicos





19 de jun de 2018

Torcedores forçam urso a tocar vuvuzela na copa da Rússia

A copa da Rússia está manchada com o sangue dos milhares de cães assassinados em cidades que sediam os jogos e com aberrações como essa: torcedores desfilando com um urso tocando vuvuzela. É realmente inacreditável que em uma cidade como Moscou isso aconteça, mas coisas surreais acontecem naquele país. Boicote a Copa, vamos fazer um mundo sem esses mega eventos que são na verdade circos itinerantes de corrupção e exploração. (Fonte: Metro)