14 de out de 2014

Dinamarca indica que quer proibir bestialidade

Todo mundo conhece a Dinamarca como um país altamente desenvolvido, onde todo mundo pedala e a qualidade de vida é altíssima. Mas por trás desse idílio humano, existe um suplício para os animais não humanos. É que o país ainda não criminalizou a bestialidade, ao contrário de seus vizinhos alemães e suecos, o que criou um mercado interno para essa esse topo de estupro.

Eu uso o termo estupro porque nenhum animal pode consentir, e portanto quando um animal humano faz sexo com um não humano ele efetivamente comete um estupro. Ou até mesmo um ato de pedofilia, porque acredito que a psicologia de domínio seja parecida.

Recentemente essa aberração tem atraído mídia e quem sabe no futuro próximo o país vai criminalizar essa forma de perversão cruel e asquerosa. O ministro da agricultura, Dan Jorgensen, quer que isso aconteça e seu argumento é logico e preciso: “Trata-se de um ataque contra animais e em qualquer circunstância qualquer dúvida deve ser em benefício deles. Eles não podem dizer não.”
Além disso, 76 por cento dos dinamarqueses são a favor da proibição, segundo uma pesquisa da Gallup.

Infelizmente nem todo mundo concorda. Um argumento ultrajante saiu do Conselho de Ética Dinamarquês, que pensa que condenar o estupro de animais é moralizar. O diretor do conselho, Bengst Holst, acha que as leis atuais são suficientes. Como elas podem ser suficientes se o crime continua a acontecer legalmente?

Ele diz que se o animal sofrer, já existe lei para isso. Eles devem estar imaginando animais que podem ir até uma delegacia e denunciar os casos de estupro.

Vamos acompanhar esse acaso, que me parece terá um desfecho positivo para os animais em breve.

A revista Vice fez um documentário sobre o assunto.


Postar um comentário