5 de abr de 2013

Justiça condena homem acusado de crueldade contra perus, nos EUA


Ronni Jacobs, da empresa Butterball, que cria perus para serem mortos, admitiu crimes de crueldade contra animais perante o juiz John H. Horne em Hoke County, Carolina do Norte. A condenação é o resultado de uma investigação da ONG Mercy for Animals, que colocou câmeras ocultas na fazenda intensiva de perus em 2011. Butterball é o maior explorador de perus nos Estados Unidos.


A investigação mostrou funcionários violentamente chutando e pisando nas aves, arrastando-as por suas asas e pescoços e maliciosamente jogando perus no chão ou em caminhões de transporte na vista da gerência. Os funcionários também foram flagrados batendo na cabeça das aves com barras de metal, deixando os animais morrer lentamente das feridas que sofreram.

O vídeo também mostrou animais vivendo em seus próprios excrementos e muito machucados, sem conseguir levantar ou andar, morrendo sem cuidado veterinário.

Essa é a quinta condenação de um funcionário da Butterball em decorrência da  investigação da MFA. Em fevereiro de Terry Johnson e Billy McBride foram condenados por crueldade animal e no final de 2012 Brian Douglas e Rueben Mendoza admitiram sua culpa. A condenação de Douglas foi o primeiro caso de condenação por crime hediondo por crueldade contra aves de fazenda de produção intensiva.

“Nossa investigação e as condenações resultantes mostram que o ingrediente secreto dos perus da Butterball é a crueldade,” disse Nathan Runkle, diretor executivo da MFA.

Video mostra a crueldade em criadouro de perus (AVISO: imagens fortes)

Postar um comentário