25 de mar de 2013

A diferença entre legal e moral

Tim Sappington, o sádico provocador que matou um cavalo, filmou e o postou no YouTube com um expletivo para defensores dos animais, não vai ser processado por isso por que a administração Obama teve a infelicidade de tornar o consumo de carne de cavalo legal em 2011. Talvez ele tenha que responder por crueldade animal, mas isso não parece certo. A única conseqüência concreta de seu gesto é que ele perdeu o emprego da Valley Meat, em Colorado, uma matadouro que agora quer se especializar em assassinar cavalos.

O dono da Valley Meat, Rick de Los Santos, disse que o que o ex-empregado fez não é ilegal. Claro, ele tem interesses em dizer isso porque ele quer montar uma empresa baseada na morte de cavalos inocentes. Sua empresa vai fazer o trabalho sujo de matar animais saudáveis que, no entanto, não tem mais utilidade para seus exploradores que não querem dar uma aposentadoria para eles.

A história se repete. As pessoas sugam o sangue dos animais e depois os mandam para um matadouro. Isso me embrulha o estômago. Los Santos se arma com o escudo da legalidade. Mas quem faz as leis? Os interessados na exploração animal, em geral, e leis nunca foram referência de moralidade. Em alguns casos, pode ser, mas em outros, como na exploração animal, certamente não. Elas são feitas para proteger os interesses econômicos.
Postar um comentário