6 de fev de 2013

Psicopata mata cão pelas costas e diz estar defendendo a família


O caso de um assassinato covarde de um cachorro pitbull foi justificado pelo criminoso como uma defesa da sua família. Diz a matéria do Atitude Tocantins:

“Na sexta-feira um homem matou o cachorro pitbull chamado de Muck com 07 facadas. O homem defende que cometeu o ato em defesa da família, já que o cão teria entrado em sua garagem e ameaçado a sua família. Testemunhas e o dono do cachorro apontam que ele teria dado as facadas no meio da rua, depois que o cachorro ter disparado da garagem da pessoa que o esfaqueou.”

Como assim, o cachorro entrou na garagem e disse que iria atacar as pessoas da “família” desse psicopata? Pelas fotos, que mostram facadas nas costas, é óbvio que o único animal perigoso aqui é Bruno Bezerra, que aproveitou a desculpa para atacar um cão cuja raça é estigmatizada pela imprensa.

Esse uso do termo família para justificar qualquer ação é um dos malabarismos lingüísticos mais irritantes da sociedade conservadora. O que é família? Bruno convenientemente ignora o fato que Muck também tinha família, que disse que ele era um cão calmo. Ele provavelmente estava perdido, entrou na garagem por engano e foi perseguido por um louco com uma faca. Violência pura, nada de defesa de família. O cão é que buscava a sua família e encontrou uma lâmina desgovernada.

Interessante notar os comentários que acompanham a matéria, a maioria em defesa do animal, apesar dos ignorantes de plantão que adoram poluir a internet. Agora, que justiça atenda o apelo da população e cumpra o seu papel.

Via Atitude Tocantins
Postar um comentário