30 de mai de 2012

A Vida dos Animais

Estou lendo este livro do escritor sul-africano J.M. Coetzee, uma estrela da literatura de língua inglesa que também é vegetariano e se dedica a pensar sobre a relação dos humanos com os animais. Neste livro ele imagina uma escritora idosa e consagrada participando de uma discussão sobre direitos animais, enfrentando a academia com poesia.

O livro inclui também artigos de outros escritores, entre eles Wendy Doniger (foto), uma especialista em cultura hindu que argumenta que a compaixão pelos animais está arraigada em outras religiões nãoocidentais e de forma muito bela escreve o seguinte sobre a ligação da compaixão e a salvação humana individual:

“Parece-me que esse argumento da salvação individual poderia ser adotado em sua forma laica no discurso ocidental com mais frequência do que tem ocorrido. É um argumento evocado muitas vezes contra a pena capital: que ela deveria ser abolida não por causa de seus efeitos nocivos sobre os criminosos, mas porque ela é ruim para nós, ruim para nós sermos gente que mata gente desse jeito. Da mesma maneira, podendo ou não discutir se matar animais com o objetivo de nutrição ou de experimentação é ruim para o universo, para a provisão de alimentos, ou para avanços médicos, e logrando ou não demonstrar que os animais sofrem como nós, e sabem que vão morrer, podemos tomar do contexto sul-asiático o argumento muito sábio de que nós sabemos que vamos morrer, e que isso faz com que seja ruim para nós matá-los.”

Eu gostei muito desta passagem e achei que deveria compartilhar aqui. O livro no todo é muito interessante, diferente com seu formato metanarrativo e inventivo, apresentando de forma sofisticada algumas das questões predominantes do debate atual.
Postar um comentário