18 de out de 2011

Cão farejador fica doente depois de inalar gesso

Foto: PF

Nauê, um “cão farejador” que identificou uma carga de 530 quilos de cocaína escondida entre 3.500 sacos de gesso adoeceu devido à intoxicação pelo material. 


A operação foi uma ação conjunta da PF e Receita Federal dentro de um contêiner no Porto de Suape, litoral sul de Pernambuco. 

O destino do material seria a África. A apreensão foi a maior já realizada no Nordeste. Nauê é um pastor alemão e está de “licença médica”. Segundo a assessoria da polícia, ele não teve contato com a droga, o que nunca ocorre nestes casos. 

Comentário: a postura dos direitos animais é sempre contrária ao uso de animais em qualquer trabalho. O risco ocupacional dessa tarefa é muito alto e animais são criados para isso. Nesse caso foi gesso que um animal inalou. Em outro caso poderia ser uma bomba que poderia ter explodido em seu rosto. 

Fonte: NE10

Postar um comentário