16 de set de 2011

Será que o Ministério da Cultura quer manter a escravidão animal em circos?


Ativistas de direitos animais, prestem atenção. O Ministério da Cultura, publicou uma Portaria Interministerial de número 74/2011 cujo objetivo “é promover debates, estudos e sugerir critérios com vistas à regulamentação da participação de animais em espetáculos, eventos e apresentações em circos e outras atividades afins.” 


O Observatório Eco foi quem primeiro levantou a bandeira a respeito dessa iniciativa nefasta. O Grupo de Trabalho deverá apresentar a proposta de regulamentação para o assunto no prazo de 120 contados da data de publicação da portaria, que foi o dia 05 de agosto, o que será mais ou menos o dia 03 de dezembro de 2011. 

O que o Ministério da Cultura pretende com isso é nebuloso já que existe um projeto de lei para proibir a participação de animais em circos em todo o país e vários estados já sancionaram leis regionais proibindo este tipo de crueldade. Seria muito melhor que o Ministério trabalhasse para promover conhecimento e não exploração, considerando a precariedade de acesso à cultura que realmente enriquece e ilumina as pessoas. Espetáculos de tortura endurecem um povo. Como alguém pode chamar a humilhação de um animal de cultura? O Ministério deveria se envergonhar disso. 

Proteste junto ao Ministério pela audácia de publicar uma portaria (74/2011) com esse teor . Eu escrevi:

Olá: Venho através dessa expressar minha preocupação com a publicação da Portaria 74/2011 sobre o grupo de estudo da regulamentação da exploração de animais em circos. Já é um fato mais do que estabelecido que o circo não é lugar para animais e vários estados e municípios já proibiram essa crueldade. Veja o trabalho de algumas ONGs que recebem animais mal tratados por circos e os senhores verão muito bem que esse tipo de abuso não tem lugar em uma sociedade civilizada. Vamos promover cultura que ilumina e abre a mente, e não que promove humilhação de outros seres sencientes. Atenciosamente, NOME/LOCAL.

Share on Tumblr
Postar um comentário