3 de set de 2011

Manipulações genéticas em animais


Existem certas formas de manipulações de animais que parecem tão bizarras que dão a impressão terem partido da mente de algum adolescente cuja produção excessiva de hormônios o deixou descontrolado. Mas não. Elas vêm da mão de adultos oportunistas que não vêem limites na exploração de outros seres senscientes. 


Duas notícias me chamaram a atenção recentemente. A primeira, noticiada pelo Jornal de Angola, diz que cientistas coreanos conseguiram “clonar cães geneticamente modificados com propriedades fosforescentes que podem ajudar a curar doenças humanas e dar um passo à frente no avanço das pesquisas médicas.” Como o fato de um Beagle ser fosforescente pode ajudar na cura de uma doença, não é exatamente explicado no artigo, mas isso é praticamente irrelevante para esses cientistas sem ética. O que eles querem é dinheiro e glória, e não criar um mundo melhor para todos os terráqueos. 

Enquanto isso alguém teve uma idéia que deve ter um apelo para o mercado ‘rave’ – peixes fluorescentes. Chamados Glofish, eles tiveram seu gene alterado para que possam produzir uma luz colorida brilhante. Eu imagino que os patéticos que comprarem isso – por que somente um nerd terminal pode apreciar a presença de um aquário dentro de casa – encherão a cara de MDMA e passarão horas olhando para o aquário enquanto o aparelho de som toca uma faixa de trance produzida por algum DJ em Israel. 

E assim caminha a humanidade. Para trás.

Postar um comentário