10 de set de 2011

Começou a estação de matança de golfinhos no Japão

Ric O'Barry na enseada de Taiji
A cada ano no dia 01 de setembro o mar da enseada de Daiji no Japão começa a ficar manchado de vermelho, com o sangue dos golfinhos brutalmente assassinados pela comunidade pesqueira desta vila.

Felizmente com a atenção que esse massacre anual hoje em dia recebe por causa do filme The Cove e do ativismo de Ric O’Barry, o ex-treinador de golfinhos que nas últimas décadas se dedica a salvá-los do cativeiro, a matança é altamente monitorada e atraí muita atenção midiática. 

Quarta feira (07 de setembro) saium um relato que a matança começou de fato, após um atraso causado pelo Tufão Talas que obrigou os matadores de golfinhos a esperar que ela passasse. Várias pessoas morreram com o tufão e o clima em Taiji é de luto. 

Segundo os relatos da Save Japan Dolphins, entre as primeiras vítimas dos matadores estavam uma mãe e um bebê que fazem parte de um cardume de golfinhos Risso. As imagens mostram com clareza como esses matadores de inocentes agem. Segundo o vídeo, todos os animais que aparecem foram mortos (o vídeo não inclui cenas de violência, apenas o encurralamento dos animais)





No mundo inteiro houve protestos pacíficos em frente a embaixadas japonesas. Ric liderou um grupo que disse preces na praia da enseada de Taiji.

A Sea Shepherd também está presente nesta campanha após ter obtido êxito nas Ilhas Faroe na Dinamarca, onde um massacre de baleias acontece todo ano. A Sea Sepherd lançou a Operação Paciência Infinita: Retorno dos Guardiões da Enseada. O objetivo é intimidar não violentamente, intervir, perturbar e desacelerar a matança de golfinhos. A organização disse que salvou cerca de 750 golfinhos e baleias piloto no ano passado como resultado da pressão feita pelos voluntários dos Guardiões da Enseada.

Durante os dias de tempestade Ric tentou convencer as autoridades a liberarem os golfinhos que estão presos cercados dentro da área da baia. A medida que o tufão se aproximava, os golfinhos não conseguiam escapar a turbulência da ondas, do vento, das redes e dos piers que os cercavam. 

Ric temia pela violência dos elementos e disse que muitos corriam risco de morrer. Foi o que aconteceu antes da tsunami de março quando muitos golfinhos morreram afogados. O vídeo abaixo mostra a situação da tempestade no Dolphin Resort, onde os animais sofreram com o mau tempo por estarem confinados.

 


Com informações da Suite101.

Postar um comentário