6 de ago de 2011

Budistas liberam lagostas no oceano, nos Estados Unidos


534 lagostas escaparam da morte em panela de água escaldante e retornaram ao lar no oceano Atlântico. Um grupo de budistas tibetanos liberaram os animais de um barco de observação de baleias. Eles espirraram água benta nas lagostas, cortaram os barbantes que amarravam suas puãs e delicadamente as liberaram, uma por uma, nas águas do oceano. 

Os 30 budistas de várias idades foram até uma comunidade litorânea chamada North Shore onde há muita pesca de lagosta, e compraram cerca de 300 quilos de um atacadista para salvar os animais da morte iminente. 

A liberação das lagostas foi marcada especificamente para o dia 03 de agosto, que é o dia da virada da roda no calendário lunar tibetano, o aniversário do primeiro sermão ensinado por Buda. Nesse feriado, o mérito de ações positivas é multiplicado muitas vezes. 

“Mesmo que elas sejam capturadas novamente, pelo menos elas terão uma vida mais longa”, disse Wendy Cook, uma instrutora de ioga e ex-diretora do centro de estudos budistas tibetanos em Medford, uma pequena cidade ao norte de Boston, que tem como tradição fazer a liberação dos animais marinhos. 

Cook liderou uma cerimônia antes da liberação que incluiu orações, mantras e passos ao redor das 13 caixas com as lagostas. Esses passos desenvolvem uma conexão kármica para as vidas futuras dos animais e ajudam a aliviar o sofrimento futuro, ela disse. 

Victoria Fan, uma estudante universitária de Cambridge, Massachusetts, participou da libertação das lagostas pela primeira vez. “É uma forma de repensar como vemos essas criaturas”, ela disse sobre a cerimônia que aconteceu a alguns passos de um lugar com um placa vendendo jantares de lagosta por apenas $15.99. 

“Nós temos que vê-las com igualdade. A felicidade delas é tão importante quanto a sua felicidade, o sofrimento tão importante quanto o seu”, Fan disse. 
Postar um comentário