24 de jul de 2011

Grã-Bretanha estuda proibição de testes com animais para produtos domésticos


Desde 2008 o uso de cobaias em produtos cosméticos está proibido na Grã-Bretanha. E agora o país dá os primeiros passos para acabar com testes para produtos de uso doméstico.


Segundo um artigo do jornal Daily Mail, o uso de cobaias em produtos domésticos estará sujeito às mesmas regras que a indústria cosmética tem que cumprir. Segundo a ministra de assuntos nacionais (Home Office), Lynne Featherstone, o governo acredita “que é possível vender produtos domésticos sem ter que causar dor e sofrimento em animais, e é inaceitável que testes nessa área continue.” 

O maior problema para as nações da Grã-Bretanha e da Europa é a definição do que é um produto doméstico. Para ajudar a clarear a questão, Featherstone emitiu um documento dizendo: “Para ajudar a proposta proibição de testes de tais produtos em animais nós planejamos aplicar a definição de ‘substâncias usadas na casa’ usadas nos relatórios anuais do Statistics of Scientific Procedures on Living Animals. Isso inclui todos os produtos que são primariamente intencionados para uso na casa, incluindo detergentes e outros produtos de lavanderia, produtos de banheiro, ceras, produtos de papel tais como fraldas, tintas, colas, removedores, outros produtos de decoração e DIY e pesticidas domésticos.” 

Segundo a BBC, uma pesquisa de 2004 mostrou que na Grã-Bretanha  as universidades fazem a maior parte dos experimentos, contribuindo para cerca de 40% do uso de cobaias. Em seguida vem empresas comerciais com 37% e departamentos governamentais com 5%. A British Union for the Abolition of Vivisection, que existe há mais de 100 anos, deu as boas vindas a notícia, mas expressou preocupação com a incerteza do governo em relação aos produtos que serão abrangidos pela lei. 

Com informações do Ecorazzi e Daily Mirror.
Postar um comentário