29 de out de 2010

Festival espanhol promove violência contra cavalos selvagens


Fonte: National Geographic

“Com as mãos e os nervos de aço, grupo consegue derrubar cavalo selvagem em La Rapa das Bestas, festival realizado em Vimianzo, na Galícia, no Noroeste da Espanha.”

Assim é descrita casualmente uma cena de barbarismo contra animais. É realmente inacreditável como a mídia pode ver e não enxergar o que realmente acontece no mundo.

O artigo continua: “A tradição de derrubar cavalos remete, dizem os galicianos, ao povo Celta que se estabeleceu na Península Ibérica no século 7 a.C..”

Vamos desconstruir a matéria sobre esse evento infeliz. Primeiro, ninguém é corajoso por aterrorizar animais. O que uma pessoa que participa desse tipo de aberração tem outros nomes: covarde, psicopata, sádico. Isso aí vai variar de acordo com o indivíduo em questão.

Segundo, por que os séculos de duração de uma chamada ‘tradição’ de alguma forma podem ser invocados para justificá-la? Primeiro, tais dados não são seguros e confiáveis. Será que os bárbaros que habitavam a Galícia de séculos atrás faziam registros escritos desses eventos?

E mesmo que fosse. Quantas tradições a humanidade abandonou porque evoluiu eticamente? Tradição não é algo esculpido em pedra. Como toda atividade humana ela se transforma ou desaparece com o passar do tempo.

Tradições envolvendo animais, mesmo as de aparência mais inocente, deveriam seguir o seu destino e ficar restritas aos livros de histórias como anomalias sobre a qual nos envergonhamos, tal como a escravidão e a caça às bruxas.

Fonte: Último Segundo

Compartilhe essa postagem
Postar um comentário