12 de jul de 2010

Vanguarda Abolicionista se faz presente na marcha fúnebre do Código Florestal


Na manhã deste domingo, 11 de julho, a Fundação SOS Mata Atlântica e diversas entidades ambientais realizaram uma manifestação de pesar pelas alterações no Código Florestal, prejudiciais à natureza e que beneficiam o agronegócio. Com caixão e encenações, a marcha saiu da porta da Capela do Divino Espírito Santo, localizada na esquina da Osvaldo Aranha com José Bonifácio, em Porto Alegre, seguindo por esta via – transformada em rua de passeio aos domingos, por ocasião do Brique da Redenção – até o Monumento ao Expedicionário, no Parque Farroupilha.


Durante o trajeto, paradas para ‘velório’, música, palavras de ordem ao megafone e bandeiras de inúmeras entidades alinhadas ao ambientalismo. Representando a libertação animal, a Vanguarda Aboliconista levou faixa e fez panfletagem , com um ativista fantasiado de funcionário de matadouro. O manterial impresso distribuído pelo grupo apontava que a diminuição das florestas significa menos animais silvestres livres, e mais gado escravo. Populares manifestaram apoio ao protesto, e também à causa da VAL, apesar de algumas reações contrárias.



Após o ‘enterro’ do Código Florestal, os grupos se dispersaram mas a Vanguarda Abolicionista aproveitou o fluxo intenso do Brique para seguir com panfletagem, atraindo a atenção dos transeuntes que não haviam acompanhado a manifestação inicial.

Fotos: Marcio de Almeida Bueno

Compartilhe essa postagem
Postar um comentário