23 de jun de 2010

Ativistas pelos direitos animais querem punição para BP


Ativistas de defesa animal querem que a justiça enquadre a empresa de petróleo BP por crueldade contra animais. PETA (Pessoas Pelo Tratamento Ético de Animais) recentemente entrou em contato com promotores de justiça da Costa do Golfo em áreas que foram impactadas pelo vazamento de óleo na região. A organização pediu que eles abram investigações criminais de oficiais da empresa com base em leis estaduais de crueldade contra animais.

“Como resultado das ações irresponsáveis e omissões da BP, cada um desses animais sofreu e suportou uma morte torturante”, disse Jeff Kerr, conselheiro geral da PETA, em cartas aos promotores de Lousiana, Mississipi, Alabama e Flórida.

“De acordo com a lei de Louisiana, crueldade contra animais é crime hediondo punível com sentença de até seis meses de prisão, uma multa de US$1.000,00, ou ambas, para cada animal morto ou ferido. Juntando os pássaros, tartarugas, golfinhos e outros animais que foram impactados pelo vazamento de óleo, isso poderia representar muito tempo de prisão para cada acusado”, Kerr disse.

Fotos de pelicanos e gaivotas saturados em petróleo cru têm aparecido em jornais e noticiários de TV desde a explosão na plataforma de Deepwater Horizon em abril. Até segunda feira, 724 pássaros cobertos de óleo haviam sido recolhidos vivos e outros 957 haviam sido encontrados mortos por oficiais do serviço ambiental, segundo o U.S. Fish and Wildlife Service. Eles também encontraram 387 tartarugas mortas e 47 mamíferos mortos, incluindo golfinhos. Os oficiais ressaltam que a causa de morte e dano físico ainda não foi diretamente ligada ao vazamento de óleo.

“Qualquer pessoa que faz mal a um animal merece ser indiciado criminalmente por isso”, Kerr disse.

Jeff Dorson, diretor da Humane Society da Louisiana, disse que pretender fazer dois boletins de ocorrência em dois distritos diferentes, alegando que a BP violou os estatutos dessas áreas em relação à crueldade com animais, junto com poluição de vias hídricas e vazamento de elementos tóxicos. Sua intenção é que o promotor de cada distrito assuma o caso e entre com acusações de crime contra oficiais da BP.

Fonte:  USA Today

Compartilhe essa postagem
Postar um comentário